Você sabe como funciona a pílula do dia seguinte?

O medicamento libera uma dose de hormônio extremamente alta no organismo, entenda melhor o funcionamento deste tipo de pílula

É importante reforçar que a pílula do dia seguinte não é considerada um método contraceptivo, mas sim um medicamento usado em situações de emergência – quando a garota teve relação sexual desprotegida e não faz o uso de anticoncepcional. Portanto, ela não (jamais) deve ser utilizada diariamente, como o anticoncepcional) Inclusive, atualmente, a pílula não funciona apenas no “dia seguinte”, pois existem opções que podem ser usadas até 72h após o ato.

“Nós chamamos de pílula ou contracepção de emergência”, diz o ginecologista Eliano Pellini, chefe do setor de Saúde e Medicina Sexual da Faculdade de Medicina do ABC. O médico também explica que o componente hormonal, conhecido como progestagênio, é bastante alto.  “O seu funcionamento depende do período do ciclo menstrual em que a menina está. Ele inibe a ovulação – se a garota tomar antes que ela ocorra – e dificulta o movimento do espermatozoide quando usado após a ovulação”, explica Eliano.

A eficácia do medicamento é de 100% se for usado no dia da relação sexual, apresentando índice de falha de 10% a 15% no dia seguinte e 25% no terceiro. Eliano também alerta sobre a importância de comunicar ao médico que se fez o uso da pílula, já que ela pode causar alguns efeitos colaterais, como o sangramento inesperado, além de dor de cabeça e enjoos. “Tudo por conta da dose alta de hormônio que ela deposita no organismo, por isso deve ser usada apenas em último caso e não de forma repetitiva”.

A prevenção sempre é o melhor caminho – seja para evitar uma gravidez indesejada, ou principalmente para impedir doenças sexualmente transmissíveis. Converse com o seu médico para entender qual é o melhor método contraceptivo para você.

Acompanhe a gente ;)

Veja mais do Tarja ?

Relacionados