O Instagram está te deixando mais ansiosa?

Sim, a vida nas redes sociais pode nos trazer mais ansiedade

Antes de tudo, vamos lembrar que a ansiedade faz parte da nossa vida. Ela é necessária para nos prepararmos para uma prova ou apresentação importante, por exemplo. “A ansiedade saudável é importante para que nossa atenção esteja voltada para determinado assunto ou evento importante em nossas vidas”, explica a psicóloga Fernanda Sassi, bacharel em Psicologia pela Faculdade Estácio de Sá. O que deixa de ser saudável é a forma como lidamos com ela, quando, por exemplo, ela passa a acontecer por qualquer motivo. “Um celular com notificação sonora para tudo o que acontece em suas redes sociais, pode, sim, ser um gatilho para uma ansiedade patológica”.

Sinais de alerta
Dessa forma, qualquer tipo de rede social pode prejudicar quem já tem uma tendência ou algum tipo de transtorno relacionado à ansiedade. Se você perceber que está deixando de fazer algo ou ficou mais estressada por estar no Instagram, por exemplo, esse é um sinal de alerta. “Vícios são fatores que prejudicam e fortalecem transtornos mentais, então se o uso das redes sociais estiverem em um nível excessivo, são prejudiciais à saúde também”, diz Fernanda.

Sintomas físicos, às vezes, podem ser um alerta de que o uso das redes sociais estão em excesso. “Irritabilidade, nervosismo, preocupação, dificuldade para dormir e se concentrar são alguns dos fatores em que precisamos ficar de olho”.

Além disso, dentro do Instagram lidamos com a comparação a todo o momento. Viagens, corpos esculturais e momentos felizes são publicados diariamente nas redes sociais e comparar nossa vida com a de outras pessoas acaba sendo inevitável – principalmente no mundo virtual. “Essa comparação constante pode gerar mais ansiedade ou até mesmo problemas mais graves, como baixa autoestima e transtorno de imagem”, explica a psicóloga.

Será que estamos exagerando?
O ponto é entender quando o uso do Instagram passa a ser um problema. Fernanda diz que para chegar a essa conclusão precisamos fazer uma análise geral da nossa rotina. Se, por exemplo, o uso do Instagram está prejudicando o sono (já se pegou em um scroll infinito deitada na cama?), causando atrasos significativos na vida pessoal (você costuma chegar sempre atrasada na escola porque ficou enrolando no celular?), afastamento das amigas e família (quando foi a última vez que você saiu em grupo?), aflição em querer olhar o celular a todo o momento e até mesmo medo de ficar por fora dos acontecimentos. Aí, sim, temos um problema.

O que fazer?
O primeiro passo pode ser criar regras e horários para entrar na rede social. Isso vai ajudar. Tente ir diminuindo aos poucos o uso da internet – hoje em dia já existem aplicativos e ferramentas do próprio celular que fazem esse controle e comparativo. “O ideal é não pegar o celular logo de manhã. Acordar com calma, fazer nossa higiene diária e tomar café são passos importantes para ter um dia mais agradável”, alerta Fernanda. Também vale deixei o celular de lado uma hora antes de se deitar, assim você já vai preparando a sua mente e corpo para uma boa noite de sono e descanso efetivo.

Procure fazer atividades físicas diariamente (que tal correr em algum parque perto da sua casa?) e preencher o tempo livre para amenizar a ansiedade e a vontade constante de estar no Instagram – que tal ler um ou dois capítulos de um livro todos os dias? Se esse monitoramento for muito difícil para você e, ainda mais, perceber que sua vida pessoal está sendo afetada significamente, procure a ajuda de um profissional imediatamente. Sua saúde mental é muito importante e você precisa cuidar dela.

Quem deu as informações: Fernanda Galvão Sassi, bacharel em Psicologia pela Faculdade Estácio de Sá (CRP 05/46877), atuante no Grupo Protobaby – Hospital da criança e adolescente;

Acompanhe a gente 😉

Veja mais do Tarja 📷

Relacionados