Entenda quando a ansiedade precisa de atenção especial

O sentimento é natural de todo ser humano e pode nos ajudar a enfrentar diversas situações, mas quando em excesso pode prejudicar atividades simples do dia a dia. Entenda!

A ansiedade é um sentimento natural de todo ser humano. Ele está relacionado com nossas emoções e pode ser motivador na maioria dos casos – mas também pode gerar medo e angústia quando em excesso. A ansiedade chamada de funcional, ou seja, aquela que nos ajuda no dia a dia, é vista como um mecanismo de defesa que nos alerta sobre ameaças ou riscos iminentes, além de nos auxiliar em questões pessoais ou profissionais como, por exemplo, no preparo para uma apresentação na escola.

Se ultrapassar a linha da normalidade, a ansiedade passa a ser uma questão importante: se influenciar as relações sociais ou fluxo escolar, por exemplo, ela pode causar tensão e insegurança excessiva. “Quando o sentimento passa a afetar de forma negativa a vida de uma adolescente, podemos dizer que a ansiedade está em vias de se tornar um transtorno que requer atenção especial”, explica a psicóloga Liliane Tragante.

Qualquer pessoa pode ter ansiedade, independentemente da idade. Podemos diferenciar os seus graus através do controle ou não das emoções, sentimentos e sintomas físicos. Liliane esclarece também que na fase patológica essa resposta é, na maioria das vezes, negativa – o que prejudica a qualidade de vida da pessoa em questão.

Se perceber que a ansiedade está afetando a sua rotina de alguma forma, procure ajuda. A melhora do quadro se dá através de um exame de consciência com a ajuda de um profissional. “O apoio da família, atividade física e alimentação controlada são pontos importantes no tratamento. Criar o hábito da respiração consciente também ajuda a menina a se organizar mentalmente, cuidando de si com amor e carinho. Em alguns casos, indicamos de forma positiva o acompanhamento psicológico e até psiquiátrico para diminuir, controlar, entender e tratar os sintomas que a ansiedade causa na rotina da garota”, diz Liliane.

É importante esclarecer também que mulheres, desde sempre, estão sujeitas a oscilações emocionais e hormonais que afetam de forma direta (com mais ou menos ansiedade) as questões pessoais. Portanto, um acompanhamento ginecológico periódico é importante também para evitar o agravamento do caso.

Quem deu as informações: psicóloga Liliane Tragante – segue a linha psicanálise de Winnicott e atua em consultório particular.

Acompanhe a gente 😉

Veja mais do Tarja 📷

Relacionados