Depressão: você realmente sabe o que é?

A doença faz com que a pessoa mude seus comportamentos e hábitos – não é besteira e nem é “só uma fase”

A depressão é um transtorno mental caracterizado por uma série de sintomas contínuos, como cansaço constante, tristeza profunda e pensamentos ruins. Conversamos com a psicóloga Imacolada Marino Gonçalves para entender mais sobre o que é, sua origem e tratamentos. “A depressão é uma doença. Ela faz com que a pessoa não tenha vontade de levantar da cama, de lavar os cabelos e de escovar os dentes, por exemplo”.

A doença pode ter uma origem endógena – ou seja, motivada por algum problema de neurotransmissor ou química cerebral – ou exógena, como a perda de um ente querido. “A depressão pode aparecer após um episódio marcante na vida da pessoa, uma idealização de algo maior do que se possa cumprir ou uma frustração muito grande”, explica Imacolada. Alguns episódios, como ir mal em uma prova, não ter a aprovação em um exame que se esperava muito ou até mesmo um amor não correspondido podem contribuir para isso.

Alguns fatores ambientais e sociais – briga na família, desentendimento entre as amigas, frustração na escola – podem levar a depressão pois se manifestam de diferentes formas em cada ser humano. “Alguns eventos podem ser tão impactantes na vida da pessoa que, ainda que não sejam biológicos, levam a organismo a se deprimir”.

Entre os sintomas da depressão estão a perda de interesse por hábitos que eram rotineiros, uma invasão de pensamentos ruins, tendências ao isolamento, afastamento dos amigos e familiares e sensações tristes que não têm explicação – há uma mudança nítida no comportamento da pessoa.

A depressão tem cura. “É preciso buscar ajuda. Tem acompanhamento psicológico e, na maioria das vezes, tem remédio indicado como um antidepressivo”, diz a psicóloga. A pessoa passa a ser monitorada por um trabalho interdisciplinar – psicólogo, médico, familiares e amigos, que precisam dar o apoio nesse momento. A depressão é diagnosticada clinicamente, não existe um exame laboratorial – o que faz com que muitas pessoas ignorem a doença e, consequentemente, não conseguem sair do estado depressivo”.

Se você tem percebido a recorrência desses sintomas e não encontra explicação para eles, procure ajuda. Converse com pessoas próximas queridas, seu ginecologista e vá a um psicólogo ou psiquiatra para entender ao certo o que está acontecendo e iniciar um tratamento.

Quem deu as informações: Imacolada Marino Gonçalves, psicóloga e sexóloga no ambulatório de sexologia do hospital Pérola Byington e Doutora em ciências da saúde pela faculdade de ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

Acompanhe a gente 😉

Veja mais do Tarja 📷

Relacionados