Como será a minha primeira consulta no ginecologista?

Você morre de curiosidade pra saber o que vai rolar. Fica calma, a gente te conta!

Assim que tem a primeira menstruação, é recomendado que a garota procure o ginecologista. Muitas garotas não têm a oportunidade (alguns pais têm a cabeça mais fechada), sentem vergonha da exposição ou morrem de medo do que vai acontecer no consultório. Mas a verdade é que sua gineco pode te ajudar muito nesse momento de mudanças do seu corpo e da sua vida, sabia? “Não pense que só vai ao ginecologista a menina que tem vida sexual ativa. É importante toda adolescente ter seu próprio médico para que possa ser orientada sobre vacinação, higiene, ciclo menstrual, IST, contracepção e vida sexual”, alerta Thalita Domenich, médica assistente da Santa Casa de São Paulo e mestre em tocoginecologia pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

Minha mãe vai ficar lá?

Prefere entrar com sua mãe na consulta? Pode. Ela entrou com você sem te perguntar? Bom, é bem comum isso é acontecer. Por um lado, é legal: ela pode se lembrar de algumas informações como doenças de infância, cirurgias e alergias. Mas, dentro da relação médico e paciente, você tem o direito de ficar sozinha na sua consulta. É comum que o médico te pergunte se você quer que a mãe saia.

Vou ser examinada?

Dificilmente, você vai fazer algum exame na primeira consulta. A menos que você venha com uma queixa específica e o médico julgue necessário te examinar.  Nesse primeiro momento, o importante é que você se sinta segura, tire suas dúvidas e escolha um profissional em quem confie para que possa recorrer sempre que for necessário. O próximo retorno vai depender da necessidade – se ele te pediu algum exame específico, por exemplo.

Tá, e quando rolar o exame?

Caso o médico precise te examinar, ele vai pedir para que você tire toda a roupa no banheiro ou na sala de exames e coloque um avental, que vai estar com a abertura para frente, facilitando o exame das mamas. Primeiro, o gineco normalmente faz um exame físico geral, checa peso e altura e confere a pressão arterial.

Na hora de examinar as mamas, você vai deitar na mesa ginecológica e colocar os braço atrás da cabeça. O objetivo é verificar se tem algum nódulo ou alguma outra alteração (as mãos atrás da cabeça é para que você movimente os músculos peitorais de forma que a mama fique totalmente palpável).

Enfim, o exame!

Aqui, o momento é dividido em três partes. Primeiro rola a inspeção da vulva por fora (você não precisa fazer nenhum tipo de preparação antes) para verificar a anatomia da região e se existem lesões ou secreções anormais. Se você ainda não iniciou sua vida sexual, o exame para por aqui.

Na sequência, o médico vai utilizar o espéculo, que é um aparelhinho geralmente de plástico, colocado na parte de dentro da vagina, para possibilitar o exame das paredes vaginais e o colo do útero. “Minha dica aqui que você tente relaxar ao máximo. Esse exame não dói nada, mas se você ficar tensa, vai contrair toda a musculatura pélvica e pode, sim, sentir algum incômodo”, diz Thalita. Alguns médicos aproveitam esse momento e já colhem o Papanicolaou, que é o exame de rastreamento para o câncer de colo de útero, também chamado de exame preventivo.

Após o exame especular, será realizado o toque bimanual que serve para avaliar o tamanho do útero e se os ovários são ou não palpáveis. Nessa parte, será possível identificar dores durante o exame e, assim, facilitar o descobrimento de alguma possível anormalidade (como endometriose, doença inflamatória pélvica, cistos de ovário, miomas e outros).

 Não se assuste!

Caso o médico peça para você escorregar o ‘bumbum bem na pontinha’ da mesa ginecológica, não há nada de errado! Isso só acontece porque essa posição é a maneira mais fácil de realizar o exame ginecológico e conseguir visualizar o colo do seu útero!”, esclarece a médica.

Os exames são indolores e rápidos – mas também importantíssimos para a sua saúde. Marque a sua consulta e confie em seu ginecologista! Cuidar de você mesma é fundamental!

Acompanhe a gente 😉

Veja mais do Tarja 📷

Relacionados

Fluxo leve, médio ou intenso: você sabe qual é o seu?

Ao acompanhar a sua menstruação, o mais importante não é quantificar, mas sim observar alterações em seu padrão habitual.

Depois de quantos dias tomando anticoncepcional estou protegida?

“Comecei a tomar a pílula, como ela funciona a curto prazo em meu corpo?” – Essa é uma dúvida bem frequente entre as meninas que iniciariam o anticoncepcional

Como evitar candidíase no verão?

Saiba mais sobre a prevenção, tratamento e como reconhecer os sintomas da candidíase, infecção ainda mais comum durante o verão

Cólica menstrual: como aliviar as dores?

As cólicas menstruais fazem parte do ciclo de quase toda garota. Veja 9 dicas para te ajudar a diminuir esse incômodo quando ele aparecer!