Absorvente interno: guia prático de como usar

Nada de medo ou preconceito! O absorvente interno é prático e pode ser seu aliado para te deixar mais confortável e segura naqueles dias

Usar absorventes internos, como qualquer outra coisa que fazemos pela primeira vez, pode causar certa tensão e desconfiança. Será que estou segura mesmo ou a menstruação pode vazar ao longo do dia? Miga, relaxe! Com alguns cuidados você poderá aproveitar ao máximo este aliado incrível, confortável e muito prático.

O primeiro ponto é o mais básico para se atentar e comprar seu absorvente interno: existem diferentes tamanhos para diferentes intensidades de fluxo. Dessa forma, é importante conhecer um pouco mais seu ciclo para identificar o melhor modelo para você. E não se assuste: essa não é uma tarefa difícil! Se estiver em dúvida sobre a capacidade de absorção, as nomenclaturas, do menor para o maior, são: mini, média e superproteção.

Os absorventes internos são projetados para serem usados na parte superior da vagina, distante da abertura vaginal. Todas as meninas que desejam testar o método podem usar ­– porém ele é indicado para as que já não são mais virgens, pois o hímen pode se romper.

“Ele deve ser encaixado com a ajuda do dedo indicador em sua base: separe os lábios da vagina com a mão livre e empurre suavemente para dentro, mas em direção às costas. Isso porque a vagina é inclinada para trás e com esse movimento pode ficar mais fácil de introduzi-lo. Aliás, se estiver doendo ou causando certo incômodo, significa que não foi empurrado até o final”, explica o passo a passo Dra. Thalita Domenich, ginecologista e consultora do Tarja Rosa.

Separamos mais algumas dicas práticas e conselhos para te ajudar no início desta missão (que não é impossível)!

  1. Suas mãos devem estar sempre higienizadas antes de introduzir o absorvente.
  2. O fluxo poderá exigir diferentes tamanhos de absorvente ao longo do ciclo menstrual. 
  3. Nunca reutilize o aplicador ou use-o fora do período menstrual.
  4. Lembre-se de trocá-lo em intervalos de 4 a 6 horas, no máximo.

Entre os perigos de permanecer com o absorvente interno além do tempo indicado, a ginecologista ressalta as chances de desencadear infecções. Em casos de maior dificuldade para retirá-lo, Dra Thalita aponta que o dedo bem posicionado é o principal truque, mas a ida ao ginecologista também pode ajudar em situações mais delicadas.

Acompanhe a gente 😉

Veja mais do Tarja 📷

Relacionados